Notícias

Cresce o número de pessoas que realiza um investimento para a aposentadoria, mas o retorno das aplicações está longe do desejado. Entenda.

Um levantamento recente da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima) aponta que o número de pessoas que realiza investimento para aposentadoria aumentou 18%, chegando a R$ 757,5 bilhões em maio de 2018. No entanto, essas aplicações estão concentradas nos principais bancos do país e costumam render menos do que o CDI ou a Selic, a taxa básica de juros.  Segundo a Monetus, startup de gestão de investimentos digital, existem fundos dessas instituições financeiras que renderam apenas 80% do CDI, algo em torno de 5,8% ao ano. 

O interessante é que mesmo rendendo pouco, esses bancos detêm cerca de 90% do capital investido pelos poupadores. Será que esse comportamento dos brasileiros é um exemplo de perfil conservador ou está mais para a falta de informação, associada a comodidade de buscar soluções práticas e conhecidas? 

Com certeza o pouco conhecimento de como essas instituições financeiras operam e a praticidade em ter tudo associado ao banco em que se tem conta, colaboram para esse cenário. A iniciativa de poupar é sempre muito válida. Entretanto, ninguém gosta de perder dinheiro. Pense: você gostaria de receber 80% a menos do seu salário depois de um mês de trabalho ou somente 70% do valor daquele imóvel alugado? Não, certo?

Nesse sentido, pesquisar e comparar as opções de previdência privada disponíveis no mercado antes de fechar com a primeira oferta é fundamental para obter bons resultados e tranquilidade no momento da aposentadoria. Compare o rendimento, a taxa de administração e carregamento. Por exemplo, a grande maioria desses fundos é pós-fixada e o retorno varia mês a mês, o que não permite prever o quanto vai aumentar no futuro.

Na GEBSAPrev, todo o dinheiro colocado pelos participantes mensalmente é aplicado de acordo com o perfil de investimento escolhido e são compostos por produtos financeiros diversos: títulos públicos e privados, prefixados e pós-fixados, ativos no exterior etc., as alocações buscam proporcionar uma rentabilidade consistente no longo prazo. Além disso, não é preciso pagar taxa de carregamento e a contrapartida da empresa, que contribui com o depósito mensal de 150% do valor investido pelo participante, amplia a reserva financeira e a realização de sonhos no futuro.

 

Fique atento e faça um bom planejamento antes de realizar seus investimentos!

 

Publicado: Quinta, 26 Julho 2018 08:00
Acessos: 341